Quando emagrecer é sobre saúde e não sobre estética

Quando emagrecer é sobre saúde e não sobre estética

Se por um lado a supervalorização do corpo magro contribui para o desenvolvimento de transtornos alimentares, por outro, os riscos da obesidade apontam para a necessidade de que pessoas com IMC elevado emagreçam com saúde. Nesse sentido, é muito importante lembrar que a questão é que o emagrecimento não deve estar associado à questão estética, e o esforço para perder peso deve ter o objetivo de melhorar a qualidade de vida, os exames clínicos e diminuir a predisposição para o desenvolvimento de doenças crônicas.

As discussões sobre obesidade frequentemente estão carregadas de preconceitos e opiniões pessoais, o que faz com que muitas pessoas não saibam exatamente quais os riscos da obesidade e o que é preciso para emagrecer com saúde. Pensando nisso, separamos os principais pontos a respeito do assunto. Continue lendo para conferir!

Quais são os riscos da obesidade para a saúde?

Antes de explicar os perigos que a obesidade pode oferecer, é válido citar uma informação veiculada em um artigo publicado na StatPearls Publishing que desmistifica um pré-conceito sobre essa condição1. Segundo o estudo, é possível que pessoas com obesidade sejam metabolicamente saudáveis, o que significa não apresentar resistência à insulina ou níveis anormais de colesterol e triglicérides mesmo com o IMC acima de 30 kg / m².

Mas isso não se estende para todos os casos, pois o acúmulo de tecido adiposo está ligado à inflamação sistêmica, principalmente em pessoas com obesidade que não são fisicamente ativas e não seguem uma alimentação balanceada. Isso acontece porque o tecido adiposo secreta adipocinas e ácidos graxos livres, e esse mecanismo pode desencadear o aparecimento de comorbidades como diabetes tipo 2, aumento do colesterol e dos triglicérides e doença hepática gordurosa não alcoólica2.

people jogging up the stairs

Como posso emagrecer com saúde?

Uma vez que o médico responsável constatar que os exames laboratoriais da pessoa com obesidade se encontram disfuncionais, é preciso orientá-la a iniciar o processo de emagrecimento para a melhora dos padrões clínicos. Mas é importante que a pessoa emagreça com saúde, sem se submeter a dietas que prejudiquem a saúde física e mental, tendo consciência de que o principal objetivo do tratamento é obter uma melhor qualidade de vida.

Para isso, é importante que a pessoa com obesidade seja orientada por profissionais de áreas multidisciplinares sobre como atingir os seus objetivos dentro das suas condições e possibilidades. Nesse processo, o papel da pessoa formada em nutrição é essencial para que seja elaborado um plano alimentar nutritivo e adequado para o emagrecimento, mas seja possível de manter a longo prazo. A prática regular de atividade física deve complementar a reeducação alimentar, pois ela possibilita o gasto calórico necessário para o emagrecimento e para a melhora da resposta inflamatória característica da obesidade.

No entanto, as diretrizes da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso) indicam que se as mudanças relacionadas ao estilo de vida não forem suficientes para melhorar as comorbidades, o uso de medicamentos deve ser considerado2. Outra alternativa para emagrecer e combater os riscos da obesidade é a cirurgia bariátrica, mas é importante entender em quais situações ela pode ser recomendada, assim como identificar as causas da obesidade caso a caso.

Referências

  1. Panuganti KK, Nguyen M, Kshirsagar RK. Obesity.In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2021 Jan.
  2. Jung UJ, Choi MS. Obesidade e suas complicações metabólicas: o papel das adipocinas e a relação entre obesidade, inflamação, resistência à insulina, dislipidemia e doença hepática gordurosa não alcoólica. Int J Mol Sci . 2014; 15 (4): 6184-6223.

194064-211029